Portal RPJNEWS

MENU

Notícias / Saúde

30% dos estrangeiros que residem em Tóquio “experimentaram discriminação” devido ao COVID-19.

A pesquisa foi realizada online do dia 1º a 21 de junho para estrangeiros residentes de Tóquio.

30% dos estrangeiros que residem em Tóquio “experimentaram discriminação” devido ao COVID-19.
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O governo de Tóquio anunciou os resultados de uma pesquisa que disse que 30% dos estrangeiros que vivem em Tóquio sofreram discriminação e preconceito em relação ao novo coronavírus. 40% das pessoas que não conseguiam falar bem quando visitaram um hospital com suspeita de infecção pelo novo coronavírus revelaram a realidade das dificuldades enfrentadas pelos estrangeiros durante a pandemia.

A pesquisa foi realizada online do dia 1º a 21 de junho para estrangeiros residentes de Tóquio.
As respostas validadas foram coletadas de 2.000 pessoas, na faixa etária dos 20 aos 70 anos e foram selecionadas para que a divisão por nacionalidade correspondesse à proporção real da população.

Quando questionados se já sofreram preconceito ou discriminação em relação ao coronavírus, 30,5% responderam que “sim”.
Esse número excedeu em muito desde a última pesquisa feita em fevereiro no qual o resultado deu 4,2% com perguntas semelhantes a todos os residentes de Tóquio.

Quando questionados sobre os detalhes da discriminação, 50,7% disseram: "Os estrangeiros foram tratados como vilões por espalhar a infecção" e 37% disseram: "Por ser estrangeiro, não recebi explicações adequadas nos hospitais". , 33,8% disse: "Fui julgado por não tomar medidas de controle de infecção."

Além disso, os dados de pessoas que já visitaram um hospital por suspeita de corona subiram para 44,2%, e 42,5% responderam que não conseguiam se comunicar bem na recepção, 31,7% tiveram resposta como “Não sabia se o seguro serviria" e 31% “Não sabia para qual hospital ir" 

Quando questionados sobre o impacto em suas vidas, 50,6% disseram que não puderam retornar ao Japão devido às restrições da imigração, enquanto 32,7% disseram que seu trabalho (renda) e aulas diminuíram ou desapareceram.

Até fevereiro deste ano os números de pessoas que continuaram se prevenindo usando máscara aumentou para 79,4%, E o governo metropolitano analisou que um alto percentual de residentes estrangeiros também estava tomando medidas para prevenir a infecção. 
O responsável disse: “superamos a pandemia todos juntos, e isso inclui os residentes estrangeiros tambem” Queremos promover medidas para que todos possam viver com tranquilidade, independentemente da nacionalidade".

Comentários: