Portal RPJNEWS

MENU

Notícias / Policial

Direção de creche ameaçou funcionários que pode entrar com uma ação de indenização se denunciarem abuso

Maus-tratos em creche da cidade Kawasaki

Direção de creche ameaçou funcionários que pode entrar com uma ação de indenização se denunciarem abuso
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O diretor de uma creche em Kawasaki deu a entender aos seus funcionários que poderia buscar penalidades criminais e compensação por danos se houver relatos de maus-tratos, investigou o Mainichi Shimbun.

Os comentários da direção podem fazer com que as pessoas fiquem relutantes em serem vistas como denunciantes, e a creche certificada no distrito de Nakahara, em Kawasaki, disse ao Mainichi que os comentários foram "impensados".

Em setembro, o Governo Municipal de Kawasaki confirmou que uma cuidadora infantil que se aposentou naquele mês estava prestando cuidados infantis inadequados, como puxar com força o braço de uma criança de 1 ano, e alertou à instituição. Posteriormente, a cidade também realizou inspeções e forneceu orientações por escrito, exigindo melhorias na gestão da informação e na relação com crianças, conforme os direitos humanos.

De acordo com a prefeitura, a cuidadora de crianças de 60 anos, puxou com força o braço de uma criança, repreendeu-a em voz alta e deixou-a sozinha em um quarto depois de terem demorado muito para calçar as meias.

A unidade tomou conhecimento de maus-tratos por meio de um responsável anônimo. Numa reunião de equipe em 13 de setembro, um dos diretores disse ter recebido vários telefonemas de pais reclamando sobre cuidados inadequados. A direção ameaçou em reunirão: “Estamos sendo prejudicados. Entraremos com processos de obstrução dos negócios e um pedido de indenização por despesas de pessoal e outros custos incorridos no tratamento do assunto” 

A creche admitiu que as falas na reunião foram "impensadas e errôneas", disseram que tomaram medidas para melhorar o tratamento com as crianças com a ajuda de especialistas.

Fonte/Créditos: The Mainichi

Comentários: