Portal RPJNEWS

MENU

Notícias / Justiça

Operadores serão solicitados a fornecer feedback rápido sobre postagens difamatórias

Ministério das Comunicações está tomando medidas para lidar com a difamação online

Operadores serão solicitados a fornecer feedback rápido sobre postagens difamatórias
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

No Japão, o Ministério das Comunicações está tomando medidas para lidar com a difamação online, um problema social grave. Com o aumento do número de casos de difamação, o ministério planeja apelar às redes sociais e outros operadores de plataformas online para que especifiquem diretrizes claras para a exclusão de postagens difamatórias e para que respondam aos pedidos de exclusão dentro de um prazo razoável, aproximadamente uma semana.

Em 21 de novembro, um painel de especialistas do ministério aprovou um esboço do plano de contramedidas contra a difamação online. A partir desse esboço, o Ministério da Administração Interna e das Comunicações pretende elaborar regras, possivelmente através de leis, até o final do ano.

Atualmente, as empresas que operam redes sociais e outras plataformas têm termos de serviço estabelecidos para excluir postagens caluniosas ou suspender contas de usuários, se considerarem necessário. No entanto, os critérios para exclusão nem sempre são claros e não está claro como os pedidos de exclusão são tratados.

O ministério considera apropriado que os operadores de plataformas estabeleçam diretrizes que definam critérios e procedimentos para a exclusão de publicações difamatórias. O esboço preliminar do plano sugere que os operadores designem um ponto de contato para receber solicitações de exclusão das vítimas e forneçam respostas em japonês. Além disso, a vítima deve ser notificada sobre a resposta, independentemente da exclusão da postagem, incluindo os motivos da decisão.

As regras propostas se aplicariam a operadores nacionais e estrangeiros de serviços online de grande escala. A escala seria determinada por indicadores como o número de usuários e o número de postagens.

No entanto, o ministério decidiu não incluir o direito dos usuários de solicitar a exclusão de postagens difamatórias na lei. Acredita-se que essa questão deva ser discutida com cautela, pois há preocupações de que o abuso desse direito possa infringir a liberdade de expressão garantida pela Constituição.

A ação do Ministério das Comunicações reflete o aumento do número de denúncias de difamação online. A linha direta para informações ilegais e prejudiciais encomendada pelo ministério recebeu 5.745 consultas relacionadas no exercício financeiro de 2022. As consultas mais frequentes estão relacionadas ao Twitter, seguidas pelo Google e pela Meta, operadora do Facebook e Instagram.

O objetivo final dessas medidas é facilitar que as vítimas de difamação online possam remover rapidamente as postagens difamatórias e ser notificadas. Espera-se que essas ações contribuam para um ambiente online mais seguro e responsável no Japão.

Créditos (Imagem de capa): RPJ

Comentários: